Saiba quais os riscos de engravidar pouco tempo após parto, como Andressa Suita

Andressa Suita e Gusttavo Lima anunciaram no dia 20 de janeiro que a família vai crescer, o casal esta a espera do segundo filho.

“Não somos mais 3, agora somos 4… Sim, grávidos! O coração transborda novamente de alegria a espera de mais um bebê! Meu maior presente no dia de hoje. Será com certeza meu melhor aniversário! Obrigada, meu amor! Te amo”, escreveu a Andressa Suita

O papai o cantor sertanejo também divulgou a novidade em seu perfil com uma foto em que a esposa aparece mostrando um teste de gravidez de farmácia com o resultado positivo.

“E o meu segundo maior presente? Grávidos novamente! Sim, vou ser papai mais uma vez! Obrigado por estar me fazendo o homem mais feliz desse mundo! Parabéns pelo seu dia e que eu possa te fazer feliz cada dia mais! Te amo, vida”, disse o cantor

O que chamou atenção no anúncio foi acontecer apenas sete apos o nascimento do primeiro filho do casal. Gabriel nasceu no dia 28 de junho de 2017, em Goiânia(GO), através de parto natural.

Uma gravidez em um intervalo tão curto é um assunto que gera muitas dúvidas entre as mulheres que querem ter mais um filho. DE fato pode ser arriscado, como explica o ginecologista e obstetra Dr. Alberto Jorge Guimarães.

Quanto tempo depois do parto pode engravidar novamente?

Logo após o parto, a mulher passa por um intervalo de cuidados e limitações conhecido como resguardo ou quarentena. Este é um período da vida da mulher em que, além de cuidar do bebê, ela também aproveita para se recuperar das transformações causadas pela gravidez.

De acordo com o médico, embora o corpo da mulher já possa fisiologicamente abrigar um feto poucos meses depois do nascimento do anterior, o ideal é esperar um tempo mínimo de 18 meses para que o organismo se recupere da última gestação.

Esse período é recomendado, porque o útero da mulher aumenta em até 20 vezes durante a gravidez e seu corpo sofre uma série de mudanças hormonais, nas articulações e no líquido circulante. Portanto, é preciso esperar um certo tempo para que o organismo recupere seu funcionamento anterior.

Riscos da gravidez no resguardo
Guimarães explica que, quando o intervalo entre uma gestação e outra é menor do que este indicado, alguns riscos são esperados. O primeiro (e mais grave deles) é a prematuridade do bebê.

“Se uma mulher engravidar antes do nascimento do bebê anterior completar um ano, o segundo tem grandes chances de nascer prematuro. Não se sabe exatamente a causa, mas uma grande observação clínica mostra que esse risco só reduz depois do 18º mês”, afirma.

Outro ponto, segundo Guimarães, é que a chance de uma mulher conseguir um parto normal no segundo nascimento é muito menor, especialmente se ela teve uma cesárea na primeira ocasião – o que não foi o caso de Andressa. Isso porque existe um risco maior de ruptura uterina já que a cicatriz da cirurgia é recente e pode se abrir.
Além dessas duas questões, pode haver ainda restrições no crescimento fetal. Ou seja, o segundo bebê pode ter dificuldades para ganhar peso ao longo da gestação.

Diante do cenário, o indicado é que a mulher sempre procure a orientação de médicos e especialistas antes de engravidar novamente e tenha o pré-natal em dia em qualquer gravidez.