Recém-nascido é morto acidentalmente pela MÃE e agora ela adverte outras mães

By 11/04/2018Diversos, Filhos, Mãe

 

A família Thompson tinha acabado de ter o “bebê milagre”, Jacob, o recém-nascido que acidentalmente é morto pela sua própria mãe.

A tragédia foi ainda pior porque a morte poderia ter sido evitada. A mãe utilizou a cama compartilhada ” pratica defendida por alguns especialistas, quando o recém-nascido dorme na mesma cama do casal”. Algumas mães acham ótimo mas outras acham extremamente perigoso.

Embora em alguns casos seja bom, mas nesses caso se tornou perigoso e trágico.

No verão de 2012, Monica deu à luz ao pequeno, Jacob. Segundo a revista People, o casal enfrentou problemas de fertilidade por 12 anos, até que finalmente conceberam Jacob, o bebê era um milagre. DE acordo com o Washington Post, a mãe passou por uma cesariana e tomou analgésicos e medicamentos para dormir, após o parto.

Quando o pequeno Jaco estava com quatro dia de vida, quando Monica colocou o recém-nascido no meio da noite na cama , para que ela pudesse amamentar. Porém ela estava sob forte efeito de medicações, e não percebeu o que estava acontecendo, já era tarde demais quando ela acordou. Segundo investigação ela ainda estava um pouco sonolenta e grogue, mas assim que olhou viu que algo estava errado, ao perceber que o bebê não se mexia.

Ela tocou no bebê, mas ele não respondia. Ela entrou em desesperado, e começou a pedir socorro,correu no corredor para que alguém pudesse ajudar seu bebê.
Os médicos levaram o bebê para a UTI Neonatal de outro hospital, mas após 6 dias sendo mantido vivo por aparelhos, o pequeno Jaco faleceu.

A família agora processou o hospital, pedindo 8,6 milhões de dólares, que equivale em torno de 25 milhões de reais, alegado que o pequeno Jacob ficou sufocado sob a mãe devido ela estar sob efeito de narcóticos e remédios para dormir.
A “incapacidade [do bebê] de respirar causou desespero e ansiedade. Sua respiração finalmente parou. Seu pulso estava fraco ou ausente”, publicou a People.
Essa experiência traumática nunca terá fim para esse casal. Ela causou-lhe danos emocionais severos – especialmente à Monica.

O porta-voz do Portland Adventist Medical Center disse que foi uma “situação trágica” e que seus “pensamentos e orações continuam voltados à família”.

De acordo com a Academia Americana de Pediatria, compartilhar um ambiente (alojamento-conjunto) e o contato pele a pele podem promover melhores práticas de amamentação e vínculo com a criança. Mas é muito importante ter cuidado, especialmente em se tratando de dormir.

Independentemente de você optar ou não pela cama compartilhada, conheça os riscos e tenha certeza de estar fazendo a melhor escolha para você e seu bebê. Embora Monica e seu marido tenham uma menina agora, eles ainda sofrem com a perda de seu primogênito.

“Estou compartilhando a nossa história na esperança de que nenhuma mãe tenha que sofrer com uma tragédia dessas… Sou a voz de Jacob para garantir que sua vida não terá sido em vão”, disse a mãe.