Quadrigêmeos nascidos naturalmente recebem alta! Utilizam 960 fraldas por mês!

Os bebês quadrigêmeos nascidos prematuros, de gestação e parto natural.

O parto aconteceu na Maternidade José Maria Magalhães Neto, no bairro do Pau Miudo.

A família é da cidade de Riachão do Jacuípe.

O fato de nascerem  após uma gestação natural, sem fertilização, quatro gêmeos de maneira natural é muito rara e só acontece em uma mulher a cada 600 mil.

Após um mês e 11 dias resceberam alta na ultima sexta feira 9/03, os bebês Elias, Maria Eduarda, Maria Eloisa e Maria Elena quadrigêmeos filhos de Eliomária Gomes moradora da cidade de Riachão do Jacuípe, a  200 km de Salvador.  O pai é um caminhoneiro, que não teve nome divulgado, a  mãe é a agente de endemias, ao sair da maternidade foram aplaudidos por funcionários da unidade de saúde.

Muitas pessoas ficaram sensibilizadas com a familia e o fato de consumirem 960 fraldas por mes, e estão enviando doações.

A maternidade  José Maria Magalhães Neto recebeu na semana em que os quadrigêmeos nasceram, outra familia que deu à luz trigêmeos, gerados naturalmente.

Neste caso as crianças são Adrian, Adriel e Anderson, que nasceram no dia 21 de fevereiro, tres meninos.

A comunidade do município Riachão do Jacuípe realizou doações para arcar com os custos quadriplicados da gestação.

“Fizeram rifa, doaram fraldas, berço. Por mais que a gente tenha comprado, mas eram quatro, né? Foi um milagre desde o início, um amor incondicional de pessoas que eu nem conhecia, e vieram ajudar com doações. No momento, eu só tenho que agradecer imensamente”, destacou Eliomária Gomes  a mãe das quadrigemeas crianças.

Eliomária diz que a família foi surpreendida com o caso de quadrigêmeos, que não foi planejado, ela ja tinha um filho de 9 anos. “Sem acreditar. Na nossa família, nem na do meu esposo, têm gêmeos, então no início foi um susto, mas milagre a gente aceita e pronto”.

Eliomária conta que só pode trabalhar até o início da gestação. “Eu trabalhei até os 4 meses e, dos 4 meses em diante, já começou um repouso mais absoluto, porque poderia ter dado um deslocamento de placenta. A gente sabia que ia ser prematuro, mas caso eu fizesse algo, poderia vir prematuro extremo”.

Duas das crianças são gêmeas univitelinas e idênticas, ou seja, ficaram em uma placenta só, por tanto a gestação foi de 3 placentas.

Na chegada dos bebês trabalharam: três obstetras, quatro hematologistas, quatro enfermeiros e um anestesista.

Maria Eduarda, que nasceu com 1 kg e 15 gramas e 40 centímetros de altura foi a menor das bebes.

O maior bebê foi Elias o menino, com 1 kg e 600 gramas e 43 centímetros.