POR QUE NOSSOS OLHOS ARDEM QUANDO CAI XAMPU NELES?

By 25/10/2017Diversos, Saúde

Bem, vamos lá: nas aulas de Química, no colégio, talvez você se lembre de estudar o pH das substâncias. O “potencial Hidrogeniônico” é uma escala que vai de 0 a 14 e mede a acidez, a neutralidade ou a alcalinidade de todas as soluções. Quanto menor o pH, maior a acidez; por exemplo, a Coca-Cola tem 2,5 e o vinagre tem 2,9. Já um pH mais elevado significa que a substância é mais alcalina, como o cloro, que tem 12,5.

O olho humano tem um pH extremamente neutro: 7. Assim, qualquer variação nesse valor vai causar uma irritação e uma ardência – principalmente se a substância em contato for mais alcalina. Essa reação é sentida pelo nervo ciliar, responsável por detectar todas as sensações de seu rosto e enviá-las para o cérebro, incluindo toque, temperatura e diferença de pH.

Assim, por conta dessas moléculas, os xampus costumam ter uma alcalinidade entre 7,5 e 9, podendo também ser mais ácidos. E, por mais que a gente tente, nem sempre conseguimos evitar a contaminação ocular. Para tentar neutralizar, nosso corpo começa a produzir mais lágrimas para que a substância intrusa seja lavada o quanto antes. Para isso, os vasos sanguíneos se dilatam, deixando nossos olhos mais vermelhos.

Hoje em dia, existe uma grande variedade de xampus e sabonetes com pH neutro – basta procurar nas embalagens –, mas eles não são ideais para a limpeza, já que é natural que as moléculas surfactantes interfiram no pH. Os xampus de bebês costumam ter essa neutralidade, porém não são excelentes na retirada da sujeira dos cabelos – mas, para um serzinho com tão poucos fios, é o suficiente.

Caso você note que o seu xampu tem um pH muito diferente de 7 – tanto para mais quanto para menos –, evite deixá-lo entrar em contato com os olhos. Mesmo assim, esses produtos são testados para que não prejudiquem a visão caso algum acidente ocorra.

Bebê no banho

Xampus infantis possuem um pH mais neutro, mas são menos eficientes na limpeza