O pato de borracha do banho do bebê pode ter bactérias mortais! Veja:

 

O pato de borracha companheiro do banho dos bebês, pode ter bactérias mortais.

Segundo cientistas, quatro de cinco brinquedos estudados contêm bactérias potencialmente patogênicas.

A equipe de pesquisadores abriram o pato de borracha e encontraram mais de 75 milhões de células microbianas por centímetro quadrado que ficam escondidos dentro do brinquedo.

As bactérias encontradas incluíram Legionella e Pseudomonas aeruginosa – um defeito que, segundo os autores, é “frequentemente implicado em infecções hospitalares”.

A equipe detectou espécies de fungos em quase 60% dos brinquedos de banho e potencialmente bactérias causadoras de doenças foram identificadas em 80% de todos os brinquedos estudados.

Os microbiologistas dizem que, embora a água da torneira não promova o crescimento de bactérias, os polímeros de baixa qualidade nos materiais plásticos fornecem os nutrientes de que precisam.

Fluidos corporais como urina e suor, juntamente com sabão e produtos de cuidados pessoais em água de banho, permitem que nutrientes como nitrogênio e fósforo se desenvolvam, criando um refúgio próspero para as bactérias.

Os autores dizem que as crianças “que podem gostar de esguichar água de brinquedos de banho em seus rostos” correm o risco de desenvolver infecções

Bactérias na superfície interna de um dos brinquedos de banho (Centro de Microscopia e Análise de Imagens / Universidade de Zurique)

O Dr. Frederik Hammes, do Instituto Federal suíço de Ciência e Tecnologia Aquática, disse que a injeção de água “poderia fortalecer o sistema imunológico, o que seria positivo, mas também pode resultar em infecções oculares, auditivas ou mesmo gastrintestinais”.

O Dr. Hammes, que disse não estar surpreso com as descobertas, acrescentou: “Os brinquedos de banho com bolor são amplamente discutidos em fóruns e blogs online, mas eles receberam pouca atenção científica até agora”.

Os cientistas dizem que o uso de polímeros de alta qualidade para fazer os patos de borracha pode impedir o crescimento bacteriano e fúngico.

O estudo foi publicado na revista Biofilms and Microbiomes.

Fonte: www.irishexaminer.com