Marcos Caruso Faz Emocionante Desabafo sobre a Saúde de Seu neto

Marcos Caruso é um renomado ator da rede Globo, na última quinta-feira (13), ele fez um grande desabafo sobre saúde de seu neto Bento. O pequeno nasceu com fissura labiopalatina, conhecido também como lábio leporino, e também sem o canal lacrimal direito.

As fissuras labiopalatinas são más formações em pessoas que nascem com o lábio ou o céu da boca aberto (palato), essa fissura pode ter uma ou duas falhas no lábio, devido ao céu da boca. Já a fissura no lábio, pode ser unilateral, falha de um lado, ou bilateral, dos dois lados, no palato pode ser a palatina (céu da boca), sendo incompleta ou em toda a extensão. Essas malformações alteram a anatomia normal, interferindo na fala, na audição, na deglutição, na respiração e nos dentes.

Marcos comentou sobre o projeto O Menino Que Não Sabia Chorar, criado por sua nora, Luiza Pannunzio, é inspirado no menino.

“O Menino Que Não Sabia Chorar existe de verdade. É meu neto. A mãe dele, Luiza Pannunzio, assim que ele nasceu, passou a desenhar e também a escrever para que ele [possa] ler quando crescer. Isso porque Bento, meu neto, nasceu um tanto diferente das outras crianças. Sem o canal lacrimal direito, com uma fenda no rosto e faltando o céu da boca. Desde que nasceu, já fez três cirurgias e tantos outros inúmeros procedimentos e acho que esta foi a forma da mãe dele viver esta nossa história. Ela precisou escrever e desenhar”, contou Caruso ao explicar projeto.

Luiza Pannunzio também é fundadora da ONG As Fussuradas, tem como intuito apoiar mães cujos os filhos tenham nascido com fissura labiopalatia e outras imperfeições. Haverá também uma pessoa de teatro e um livro que será baseado na história de Bento, para que realização da peça, será necessário arrecadas fundos em uma plataforma de financiamento coletivo, que já está em andamento.

O ator desabafou após Bento passar por 3 cirurgias: “Fato é que veio a Paula Autran e, desse material todo, escreveu uma peça e agora estamos na reta final do Catarse para fazer um livro da peça e levá-la para se apresentar em hospitais públicos de todo o País. A meta está clara lá no site e estamos longe de conquistar o valor desejado. Mas, como faremos o projeto, seja lá como for, peço a você que faça sua doação, escolha sua contrapartida e apresente este projeto aos conhecidos teus. Compartilhe dele, fale sobre ele. E acredite, nós queremos mudar o mundo e contamos com você”.