Mãe dá à luz bebê que ficou 24 anos congelada na forma de embrião

O embrião foi congelado em 14 de outubro de 1992 e descongelado e transferido para o útero da mãe em 13 de março de 2017

Você um dia imaginou a possibilidade de dar à luz um bebê apenas um ano mais nova que você? Isso aconteceu no Estado americano do Tennessee. Emma Wren Gibson foi gerada há 23 anos, e maior parte de sua existência, permaneceu congelada em forma de embrião. Emma nasceu no final de novembro e os médicos do Centro Nacional de Doações de Embriões (NEDC, na sigla em inglês), dizem que o acontecimento representa um recorde -seria o embrião mais “idoso” que veio a termo.

O embrião foi congelado em 14 de outubro de 1992 e descongelado e transferido para o útero da mãe em 13 de março de 2017. A mãe, Tina, e o pai, Benjamin Gibson têm, respectivamente, 26 e 33 anos de idade. Tina tinha apenas um ano e meio de vida quando Emma foi concebida.

“As pessoas dizem que é a ciência a responsável, mas eu acho que é um presente de Deus. Com certeza”, disse Tina a uma rede de TV. “Eu só queria um bebê. Eu não ligo se é um recorde mundial ou não.”

“É algo muito emocionante e altamente recompensador ver embriões dessa idade, que usavam técnicas antigas de criopreservação -mais lentas- tenham esse resultado, disse Carol Sommerfelt, que é diretora do NEDC e que realizou o procedimento.

O objetivo do NEDC é promover tanto a “dignidade dos embriões congelados” e que não serão usados por seus genitores, quanto ajudar casais a construir famílias por meio desses embriões doados.