Mãe com doença RARA quebra 32 ossos do corpo, perde o bebê e renasce com nova GESTAÇÃO

By 08/05/2018Diversos, Filhos, Gravidez
Publicidade

 

Kelia tem doença rara, está se recuperando da última fratura no fêmur e vai comemorar o Dia das Mães com filho perfeito.

Ao nascer Keila Arruda Velasquez, foi diagnosticada, com uma doença RARA, com previsão máxima de 2 anos de vida. Mas desafiando as previsões médicas, hoje está com 34 anos. Na aparência nada demonstra, mas ela já quebrou 32 vezes, sendo que 5 foram na gestação do último filho.

Em entrevista ao portal G1, ela conta sobre a doença rara, e superação em cada gestação e alegria de ter seu filho de 2 anos e 6 meses.

“A doença é chamada ossos de vidro, em que uma pessoa em um milhão sobrevive, segundo vários médicos explicaram. Quando eu nasci, já quebraram os ossos de dois braços e duas pernas e ninguém sabia o que era. O primeiro filho que eu tive não resistiu também, eu tinha 26 anos. Só que o milagre continua acontecendo e eu engravidei novamente”, afirmou ao G1 Keila.

Publicidade

Entre tudo o que já passou ela disse que o maior presente de sua vida, foi quando o segundo filho nasceu.O menino está com 2 anos e 6 meses, ela é perfeito, e bastante arteiro. Já o primeiro bebê, se foi aos 8 meses.

Ela foi criada pela mãe e avó materna, ela conta que qualquer esocrregão era motivo para ser internada.

“Eu nunca fui uma criança normal, que fez esportes. O meu fêmur por exemplo vive fraturado, então tive que trabalhar em call center fazendo atendimentos sentada. É assim há mais de dez anos. Qualquer esforço já me levava para o hospital e eu tinha que usar prótese, haste e gesso para voltar o osso no lugar”, disse

Publicidade
Publicidade

Para o Dia das Mães ela pretende estar em casa, depois da última fratura no fêmur.
“Mais uma vez eu ouvi dos médicos que sou um milagre. Agora fui encaminhada para um médico especialista em ossos. Agora, nesta última vez, ficou 9 centímetros de diferença entre uma e outra. Ela trata de crianças, mas, ela vai me avaliar porque é a única especialista em osteogenese imperfeita”.

Keila diz que apesar de tudo é muito feliz pela vida.
“É uma imensa felicidade em ver meu filho brincando. Neste domingo, vou ter a ajuda do meu irmão para comemorar a data, pois vamos para casa da minha irmã. Ele vai chegar de viagem e me levar em uma cadeira de rodas. Vamos comer bolo e ficar conversando”, disse.

A mãe da Keila D. aurea Arruda Velasquez, de 53 anos, que a luta e constante, que ela tem superado durante todos estes anos. O pior momento mesmo foi na gravidez, mas graças a Deus, o bebê nasceu bem sem nenhuma sequela.O menino é um companheiro, ele ajuda mãe em tudo, carrega a bolsa dela, os dois se completam. Ela é uma pessoa feliz nunca se abateu por seu deficiente.