Foi uma eventualidade: Argumenta Maternidade após trocas de Bebês no necrotério

By 14/03/2018Diversos, Filhos

 

A maternidade afirma que o erro foi da funerária que não checou a identificação do corpo do bebê.

A bebê de Marcionília, Nayana Lyz, nasceu aos 9 meses de parto cesária. Correu tudo bem no parto. Porém mais tarde mais tarde perceberam que havia algo de errado com a bebê, ela foi levada para a UTI. Na segunda-feira (5) a família foi informada que o bebê nasceu sem cérebro. O bebê morreu na manhã desta segunda (12).

Conforme informações do portal G1, a Funerária Morada da Paz não checou as informações no corpo do bebê e entregou a outra família.

“Quando fui atrás do corpo da menina, não estava mais na pedra, tinham liberado para outra família. Tinha outra criança lá. Disse que não queria aquele bebê, queria a minha. Acho que o erro foi na maternidade que entregaram o corpo errado, mas disseram que não foi”, contou a mãe.

A Funerária disse que assim que foram avisados do erro, ainda no caminho, voltaram para devolver a criança e buscar o bebê correto, Mas a família contesta esta informação.

Ao portal G1 o gerente administrativo da funerária Morada da Paz, Antônio Sobral Dourado, nega que o corpo tenha sido entregue a outra família, como diz a família do bebê. O G1 não conseguiu localizar a outra família,

A tia da criança conta que a família ficou chocada ao chegar no necro´tério e ser informado que o corpo tinha sido liberado para outra família. A tia ainda informa, que só depois do meio dia da segunda, que os familiares tiveram acesso ao corpo da bebê.

Na maternidade o diretora, Serlene Gonçalves, disse que houve uma “eventualidade”.Ela explicou que a maternidade prepara a declaração de óbito (DO), e a corpo é identificado. No necrotério, as funerarias pegam os corpos conforme a identificação da DO.

“Quando a gente coloca o bebê lá, a funerária já tem acesso ao necrotério e é obrigação da funerária pegar. Segundo a funerária, era um funcionário novo que foi pegar o corpo. Foi uma eventualidade ontem”, argumentou.