Bebê de 1 ano é agredido em creche

By 03/05/2018Diversos, Filhos
Publicidade

 

O bebê de 1 ano foi agredido em uma creche, deixando os lábios e o rosto inchados o caso esta sendo investigado.

A mãe do pequeno Tiffany Griffin, quando chegou na creche Kiddie Garden em Indianapolis, Estados Unidos, encontrou seu filho todo ensanguentado.

Tiffany contou a WXIN-TV que seu filho foi hospitalizado por causa dos ferimentos. O porta-voz da polícia de Indianápolis, Aaron Hamer, disse na terça-feira que estão investigando, mas até agora não houve nenhuma prisão.

O dono do creche Kiddiegarden, disse a Associated Press que uma menina de 2 anos atacou o filho de Griffin, e que a menina tinha sangue nas mãos.

Publicidade

Ghebremichael disse que um funcionário da creche separou as duas crianças durante o ataque de segunda-feira, mas o garoto já havia sido ferido. Ela disse que fechou a creche depois de receber telefonemas a respeito das noticias da lesão do menino e fechou a creche e não sabe quando irá reabrir.

Ghebremichael disse em uma declaração preparada que nunca enfrentou quaisquer alegações de abuso ou maus-tratos e está cooperando totalmente com a polícia, serviços de proteção à criança e agências estatais. “Este foi realmente um evento triste, chocante e infeliz”, disse ela em um comunicado por email. “Nossos corações vão para Jesse e sua família e estão orando por seu bem-estar.” Kiddiegarden é uma creche licenciada e foi inspecionada pela última vez em outubro de 2017, informou a WXIN-TV.

Griffin disse que não acredita que a menina de 2 anos atacou seu filho, dizendo que a criança “era pequena e ela não parecia ser do tipo violenta”.

Publicidade

Ela disse que quando ela mostrou uma foto do rosto inchado de seu filho para a mãe da menina, ela “começou a chorar e disse que seu bebê não faria nada disso”.

Griffin disse que não tem certeza se consegue deixar seus filhos novamente sob os cuidados de outra pessoa.
“Eu não podia protegê-lo e estava tentando fazer o melhor para os meus filhos, como ir ao médico, cuidar da minha saúde e ir para a escola”, disse ela.