Absorventes para fraldas de pano moderna

Os absorventes são feitos de tecido capaz de absorver e reter o xixi e o cocô do bebê quando utilizado nas fraldas de pano modernas. Eles podem ser chamados também de recheio ou insert.

Como é definida a absorção?

O material que é feito o absorvente define se ele absorve mais ou menos. Geralmente, o que tem maior absorção são os de tecido sintéticos. Tecidos mais naturais permitem que a pele do bebê respire melhor, porém as trocas vão acontecer com mais frequência. Outra opção para os materiais naturais é acrescentar mais absorventes, até porque a densidade também define uma maior absorção. Dessa forma, um absorvente que seja mais fino retém menos que um absorvente mais grosso ou que dois/três utilizados juntos.

Tipos de tecidos absorventes

Microfibra: É um tecido sintético, 100% poliéster, mas muito absorvente. E pela sua eficiência em extrair a umidade, é capaz de secar a pele do bebê, causando algum tipo de reação alérgica. Recomenda-se evitar o contato direto dele com a pele do bebê. Sugestão de uso para ele é sempre dentro do bolso da fralda de pano moderna. A microfibra é um tipo de tecido que não impermeabiliza.

Algodão: Natural, fresquinho, macio e respirável. Pode ficar em contato com a pele do bebê e por isso, você pode usá-lo fora do bolso. Mas retém muito xixi e logo o bebê se sente úmido. Para a absorção ser mais eficiente, o ideal é que ele seja utilizado em muitas camadas, mas nesse caso a fralda fica bem mais volumosa. No mercado há opções de absorvente em algodão convencional e algodão orgânico. Não impermeabiliza.

Cânhamo ou Hemp: Na fabricação do tecido de cânhamo ou hemp é feito a partir da mistura da fibra retirada do caule da planta Cannabis ruderallis (55%) e do algodão (45%). Portanto, sua base é natural. A absorção do cânhamo e a suavidade do algodão o fazem um tecido bastante indicado para ser utilizado como absorvente de fraldas.

O cânhamo é naturalmente antibacteriano, inibindo o crescimento de bactérias no tecido composto por ele. Contudo, por ele ter uma excelente absorção, pode reter odores e por isso precisa ser higienizado adequadamente. Eles são mais difíceis de secar.

O impacto ambiental é menor Entre os naturais algodão e bambu, o cânhamo é o que tem menor impacto ambiental. Seu cultivo não exige o uso de pesticidas e para o processamento da fibra, embora possa ser acrescido algum produto químico, o impacto é bem inferior se comparado ao processamento do bambu, por exemplo.

Bambu

Absorvente- bambu-mamãe-verde: altamente absorvente, muito mais que o de algodão e o cânhamo, entre os chamados naturais. É respirável e macio. Porém, demora para secar. A sensação na pele do bebê é que ainda permanece úmida. Assim como o cânhamo, é mais amigo do meio ambiente no sentido de vir de uma planta de crescimento rápido, que requer nenhum ou pouco uso de pesticidas. A maioria das marcas usam camadas de microfibra entre camadas de bambu. O algodão também pode vir misturado ao bambu como forma de dar mais estrutura ao absorvente.

Zorb: tecido super absorvente, mais que a microfibra, feito de uma mistura de bambu, algodão e microfibras de polietileno. Ele pode absorver 10x o seu peso em umidade em 0,5 segundos, sendo 20 vezes mais rápido do que o algodão, bambu ou cânhamo. Lava e seca muito facilmente.

Melton: tecido atoalhado, composto por 80% algodão e 20% poliéster. Como na sua fórmula tem maior percentual de algodão, ele pode permanecer em contato com a ele do bebê. O poliéster auxilia a não ficar tão encharcado

Fleece: composto de camadas de microfibra por dentro e microsoft por fora. Dá a sensação de sempre seco. Não encharca. É sintético, por isso pode irritar a pele do bebê ao ficar em contato direto.

Uma dica: absorventes feitos de tecidos que não podem estar em contato com a pele do bebê podem ser usados fora dos bolsos das fraldas de pano, desde que revestidos por um tecido permitido, como o algodão. É uma boa saída para quem quer utilizar as fraldas como capa e com absorventes sintéticos.

Karin Petermann

Author Karin Petermann

Sou mãe de duas crianças lindas, o Cauê com 7 anos e a Catarina de 2 anos de idade. Sou blogueira há 7 anos e escrevo porque acredito que a maternidade quando compartilhada se torna mais leve e divertida.

More posts by Karin Petermann

Leave a Reply